FENEI - Federação Nacional de Educação e Investigação IE - Internacional Educação ETUCE - European Trade Union Committee For Education UGT - União Geral dos TrabalhadoresUGC - União Geral de ConsumidoresFESAP - Federação de Sindicados da Administração Pública e de Entidades com Fins Públicos

Sindicato Nacional e Democrático dos Professores

Ministério Arredado da Realidade

No final do mês de fevereiro fomos confrontados com um relatório publicado por uma equipa de investigadores dos Centros para Controlo e Prevenção de Doenças dos EUA que conclui que os professores podem desempenhar um papel central nas cadeias de transmissão que são detetadas nas escolas.


Não por acaso, dizemos nós, a Sra. Ministra da Saúde vem admitir publicamente incluir nos grupos prioritários na vacinação contra a covid-19 os professores e funcionários das escolas, revelando que essa "hipótese está a ser analisada em Portugal e noutros países".


Pasme-se que o Sr. Ministro da Educação aparece arredado da atualidade, não dando a conhecer opinião ou informação sobre esta matéria. No entanto, a contragosto, lá veio informar do que se passou nas escolas no período em que estiveram abertas, concluindo-se que o panorama não é tão idílico como o pretendeu pintar. O governo escondeu, enquanto pode, que mais de metade das escolas públicas registaram casos, ou seja, perto de 3000 estabelecimentos de educação e ensino não superior público do continente.


Para nós é claro que o regresso às aulas presenciais é uma ferramenta-chave não apenas no processo educativo formal, mas em todo o processo de sociabilização e de criação de ideais de cidadania das crianças e jovens, como repetidamente temos dito.


A reabertura das escolas resultará, segundo a Sra. Ministra da Saúde, da aplicação das regras que se conhecerão a 11 de março aquando do anúncio do plano de desconfinamento.


Esperamos que esse plano traga novas orientações, corrigindo algumas da orientações que foram dadas às escolas. Obviamente que deveriam ser ponderadas e reavaliadas algumas das medidas de reorganização do espaço escolar, principalmente no que toca às medidas de distanciamento físico e ventilação das salas.


E, também seria desejável uma melhor articulação/comunicação das escolas com a Autoridade de Saúde Local.


Parece-nos razoável exigir que se realizem nas escolas testes à covid-19 com carácter sistemático. Os testes deverão ser realizados em todas as escolas de forma regular e em todos os níveis de ensino, a alunos, docentes e não docentes, por forma a detetar precocemente infeções pelo novo coronavírus.


Finalmente, o aparecimento de cada vez mais grupos prioritários na aplicação da vacina não nos deixa sossegados, proliferando ao sabor do politicamente correto.


Sempre achámos (aliás fomos os primeiros a defendê-lo publicamente) que docentes e trabalhadores não docentes da educação deveriam ser incluídos no grupo prioritário de acesso à vacina contra a covid-19 como sugeriam os especialistas e também o bom senso.


Lisboa, 09 de março de 2021
O Secretário-geral,
(João Rios)

Imprimir Email

Tablet

Ser sócio

Uma luta nacional e democrática para o futuro dos professores.

Inscreva-se e juntos seremos mais fortes na luta pela profissão.

Ficha de inscrição

Contacto

Por favor, introduza o seu nome
Por favor, introduza o seu número de telefone
Por favor, introduza o seu e-mail Este e-mail não é válido
Por favor, introduza a sua mensagem

SINDEP

SINDEP

Sobre nós

O SINDEP, Sindicato Nacional e Democrático dos Professores, é um sindicato filiado a nível nacional na UGT e a nível europeu e mundial na Internacional da Educação e desde sempre ligado à defesa dos direitos dos trabalhadores em geral e dos educadores de infância e professores portugueses em particular.

Morada

SINDICATO NACIONAL E DEMOCRÁTICO DOS PROFESSORES
Avenida Almirante Reis, 75, Piso -1D
      1150-012 LISBOA

 218 060 198   Tlm 929 239 465   

 Fax 218 283 317

sindep@zonmail.pt
2.ª a 6.ª, 9h30 às 13h e 14h às 17h30